Eno Cultura – Cursos em Vinhos, Destilados e Eventos Corporativos no Brasil
Eno Cultura, Cursos de Vinhos no Brasil

Eno Cultura, Cursos de Vinhos no Brasil

Eno Cultura, WSET

Eno Cultura, Eventos corporativos

Eno Cultura, Escola de vinhos / Wine School

Eno Cultura, Consultoria em vinhos em São Paulo

Whats'On

Fique por dentro das novidades que
acontecem no mundo dos vinhos
e destilados!

BEAUJOLAIS

BEAUJOLAIS

29/11/2017

Todos os anos, na terceira quinta-feira de novembro, celebra-se na França a chegada do “Beaujolais Nouveau”: são vinhos tintos feitos com a uva Gamay, produzidos de forma a serem frutados, leves e, acima de tudo, jovens... afinal, eles são resultado da colheita do mesmo ano! Estes vinhos são consumidos rapidamente, e esgotam no mercado em questões de semanas. Mas a região de Beaujolais, que fica ao sul da Borgonha e ao norte do vale do Rhône, também dá origem a vinhos mais complexos, e que ainda assim mantêm o seu frescor e caráter frutado. Das 10 sub-regiões que dão origem aos vinhos de maior qualidade de Beaujolais (os 10 “crus”), sugerimos neste contexto de verão as apelações Saint Amour, Fleurie e Brouilly. Estes vinhos, que exibem deliciosos aromas de frutas vermelhas e flores (como rosas e violetas), podem ser servidos levemente frescos (em torno de 13°C) e são uma ótima opção de tinto para o verão!

Algumas sugestões: Jean Foillard, Fleurie 2015 (preço aproximado: R$210, Cellar); Marcel Lapierre, Morgon (preço aproximado: R$ 228; World Wine);

Info adicional:

Nos anos 50, os parisienses se apaixonaram pelo modo com que as pessoas de Lyon provavam os vinhos “en primeur”, e criaram esta tendência do Beaujolais Nouveau. Em 1985, foi determinado por lei o início da venda do Beaujolais Nouveau na terceira quinta-feira de novembro (às 12:01 AM), sendo que a comercialização pelos produtores e negociantes passou a ser permitida até o dia 31 de agosto do próximo ano. A campanha foi um sucesso, mas desviou a ideia do potencial de alta qualidade da região.
Para a região geográfica de Beaujolais como um todo, podemos estabelecer duas divisões fundamentais: a parte sul, com solo argiloso calcário; e a parte norte, que tem encostas de solo granítico e xisto. Nesta parte norte, a colheita geralmente ocorre antes do que nos vinhedos do sul, devido à maior exposição solar. E é também na região norte aonde estão localizadas as dez apelações Crus de Beaujolais. Vejamos de forma bastante simplificada as características de cada um destes Crus:

- St Amour: intensidade de fruta e floral; vivacidade.
- Julienas: nomeado depois de Julius Cesar, imperador romano; mineralidade e frescor; escuro, podendo aparecer notas de cassis.
- Chénas: generoso e frutado, com muita estrutura.
- Moulin à Vent: poderoso e estrutura; complexo e longo.
- Fleurie: floral e delicado; elegante.
- Chiroubles: vívido e com fragrância, delicado.
- Morgon: ao norte parecido com Fleurie, ao sul com Brouilly, mas ao centro (em Côte du Py) é estruturado, denso e longevo.
- Régnié: frutado, com frutas vermelhas.
- Brouilly: maior Cru (20% de área); nomeado depois de Brulius, faz vinhos generosos, frutados e boa concentração.
- Côte de Brouilly: frutado e maior concentração, tanino denso.

Fonte - Eno Cultura