Eno Cultura – Cursos em Vinhos, Destilados e Eventos Corporativos no Brasil
Eno Cultura, Cursos de Vinhos no Brasil

Eno Cultura, Cursos de Vinhos no Brasil

Eno Cultura, WSET

Eno Cultura, Eventos corporativos

Eno Cultura, Escola de vinhos / Wine School

Eno Cultura, Consultoria em vinhos em São Paulo

Whats'On

Fique por dentro das novidades que
acontecem no mundo dos vinhos
e destilados!

Regras Gerais de Rotulagem

Regras Gerais de Rotulagem

21/03/2018

Nos países que não fazem parte da União Europeia, as IGs geralmente definem apenas os limites da região. Tomemos um exemplo da Austrália: o termo Coonawarra no rótulo quer dizer que 85% das uvas utilizadas no vinho provêm da região de Coonawarra. Estes 85% são uma referência mundial, embora em alguns países se apliquem regras mais rigorosas. Regras semelhantes também se aplicam às castas e safras que aparecem nos rótulos.
Na Europa, as IGs não estão sujeitas somente às regras básicas que definem a área geográfica, mas também a muitas outras regras locais. Estas regras podem controlar aspectos como as castas utilizadas e as práticas de viticultura e vinificação. Além disso, existem dois tipos de IGs: denominação de origem protegida (DOP) e indicação geográfica protegida (IGP). Embora DOP e IGP (e suas diversas traduções) sejam termos de rotulagem aprovados, a maioria dos produtores ainda utiliza termos de rotulagem mais antigos e tradicionais.
Por exemplo, no sul da França, as DOPs são relativamente pequenas e contém um grande número de regras associadas a elas. Uma regra que se aplica a todas as DOPs da EU é que 100% das uvas utilizadas devem ser da região indicada no rótulo. Tomemos o caso de Minervois (DOP do sul da França): os produtores são limitados às castas historicamente associadas à região (em particular, Carignan, Syrah e Grenache); em um rotulo típico, as castas não aparecem, embora seja permitido colocá-las; também pode não aparecer a AOP (tradução francesa para DOP), mas o tradicional AOC (Appellation d’Origine Contrôlée)
As IGPs, por outro lado, são maiores e estão sujeitas a menos restrições. Um exemplo: Pays D’Oc é a IGP mais importante da mesma região onde fica Minervois, e é usada por produtores que querem usar castas – como a Cabernet Sauvignon ou a Chardonnay – que não são tradicionais da região. Estes vinhos são normalmente rotulados com o nome da casta. No caso das IGPs, o termo tradicional de rotulagem na França é Vin de Pays, embora em regiões como Pays D’Oc se utilize o termo IGP. Também é possível vender um vinho sem qualquer menção a uma IG. Neste caso, o vinho será rotulado simplesmente com o seu país de origem.

Quer saber mais sobre rótulos de vinhos? Consulte nossa agenda de cursos em http://enocultura.com.br/wset

Fonte - Eno Cultura

Últimas Notícias